Malu,minha razão de viver!

Malu,minha razão de viver!

domingo, 23 de fevereiro de 2014

Pais nocivos

Nem só de acertos se vive a maternidade. Mas de muitos erros. Nossa como a gente erra!
E as vezes somos até nocivos aos nossos filhos com nossos erros!
Ando me questionando muito a respeito de comportamentos que podem ser nocivos na criação dos filhos. Nossas ações servem como exemplo a eles.
Devemos cuidar as sentenças que proferimos aos nossos filhos, do tipo:" você é um chato! Você é desastrado! Você não consegue aprender nada??" Esse tipo de sentença fica gravado na memória RAM (Registro Automático da Memória) do seu cérebro e acaba determinando quem ele é, porque eles são o que nós dissemos a eles o que são, afinal, são tão pequenos pra saber... Nós os ajudamos a descobrir. E não é com palavras e sentenças negativas que ajudaremos eles a descobrirem quem são.
"Todas as experiências negativas que contêm medo, insegurança, humilhação e rejeição geram imediatamente uma zona de tensão na emoção. Se essas zonas de tensão não forem trabalhadas rapidamente, serão registradas na memória. Desse modo,ficarão disponíveis, e poderemos produzir uma infinidade de pensamentos obsessivos sobre elas. " (Augusto Cury - O Mestre do Amor)
E se você não mudar rapidamente esse comportamento, vai estar gerando uma zona de conflito. Essa memória ficara pra sempre no inconsciente do seu filho, mesmo quando ele não lembrar mais da ofensa. assim acontece conosco, quando alguém nos ofende ou critica. Não é mesmo? A mesma coisa acontece com seu filho que ainda está em fase de formação da personalidade de do seu caráter. O que pode afetá-lo pra sempre.
Ás vezes você acaba dizendo algumas coisas das quais se arrepende amargamente depois. Na hora do cansaço, da irritação, você não pensa muito no que fala, mas o que você fala pode ter consequências que durarão para sempre.
Mas... uma boa notícia, Augusto Cury escreveu neste mesmo livro citado acima que  a memória pode ser mudada através de ações contrárias ás que foram nocivas. Então, nem tudo está perdido, ainda há tempo de reverter a situação. Ainda há tempo de você contribuir para a auto-estima do seu filho, de formar nele boas memórias, boas lembranças. Comece já! Depende de nós o adulto seguro, auto confiante e com boa auto-estima que nossos filhos se tornarão.
"É possível apagar ou deletar a memória? Não! A memória só pode ser reescrita ou reeditada, mas nunca apagada... Portanto, depois de registradas as zonas de tensão , a única coisa a ser feita é reescrever a memória com coragem e determinação." (Augusto Cury)
Podemos reescrever uma nova memória em nossos filhos, com novos comportamentos, com sentenças positivas!
Eu erro, você também erra, mas sempre há tempo de mudar!!
Que Deus nos dê sabedoria nessa missão de educar!!!
Bjinhos,
Ane mamãe da Malu e do João Pedro



quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Educação se aprende em casa

Ontem  uma amiga que é mãe de uma coleguinha de escola da Malu comentou sobre um episódio que aconteceu na escola das meninas agora início das aulas; chamaram os pais de um aluno super indisciplinado que já estava dando trabalho aos professores, e os pais simplesmente disseram que não tem tempo pra picuinhas, que a partir do momento que deixam o filho na escola a responsabilidade é deles e eles que se virem.
Quando ela me contou isso eu fiquei chocada.. Gente, como assim?? Se deixa o filho na escola exime você da responsabilidade sobre seu filho, então o que será dele no futuro? Quem é que deu educação a ele? Que princípios ele terá? Quem formará o seu caráter? Quem o disciplinará? Não to entendendo... Juro, não estou entendendo. O mundo tá tão mudado assim mesmo que agora a responsabilidade não é mais dos pais mas sim da escola? Pára tudo que eu quero descer!!! Que nave louca!
Olha aqui, a escola é o lugar de formação intelectual dos filhos, e não formação de caráter. Concordo que seja uma aliada na educação,deve haver uma reciprocidade entre escola e pais, mas a fundação principal quem dá continua sendo os pais. Educação, boas maneiras, princípios, caráter vem do lar e não da escola.  O que será dessa futura geração onde os pais não tem mais tempo pra educar seus filhos? Crescerão sem afeto, sem ternura, sem atenção. E totalmente sem noção do certo e do errado. Sem limites! O que esperar deles então? Isso me dá medo... Medo de pensar em que tipo de pessoas meus filhos irão conviver no futuro. Medo do que nos espera... Pais, sejam sábios, os adultos de amanhã depende muito da educação que você dá hoje aos seus filhos. Somos formadores de seres humanos, somos diretamente responsáveis pelo futuro da humanidade. Que Deus nos dê sabedoria para criarmos nossos filhos! Amém!

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Tudo depende da perspectiva...

Sabe, todo dia eu penso que Deus pode ter se enganado comigo em relação a ser mãe. Duvido de mim mesma, me questiono o tempo inteiro. Me acho inábil pra tão linda função. Me vejo tão imperfeita. Vejo tanto em mim pra ser mudado e que não consigo. Me acho tão intolerante, impaciente. Enfim, são tantos defeitos como mãe que penso que talvez eu não merecesse essa tão sublime benção de ser a mentora de pequenos seres até que eles se tornem adultos capazes de agir por si mesmos... Fico com pena dos meus filhotes  por terem uma mãe tão imperfeita como eu, tão cheia de falhas, tão errante. E várias vezes já me peguei pensando em como será que minha filha me vê. E hoje assisti a um vídeo que me deu esperanças... Pois vi que não sou só eu que me acho tão imperfeita e imerecida de tal graça de ser mãe. E vi também que nossos filhos podem ter uma diferente e surpreendente perspectiva em relação a nós como mãe. Vale a pena assistir ao vídeo e se emocionar e reavaliar nossa perspectiva em relação a nós mesmas como mãe. Pensar que estamos dando tudo de nós, que mesmo sendo imperfeitas estamos tentando superar nossas falhas, e que apesar de errarmos tanto tudo o que fizemos é sempre com amor. E que somos apenas seres humanos em uma grande missão, não somos super heróis, mas humanos frágeis tentando sempre superar nossos defeitos. E a culpa é normal em todas as mães. Mas nossos filhos sabem o quanto o amamos, disso não precisamos ter culpa, pois sabemos que nosso amor por eles é maior que tudo.
Vejam o vídeo por si só e se emocionem também.
video

Bjs.

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Filhos órfãos de pais vivos...

Final de semana fiquei na casa de meus pais com os filhotes. Malu sempre dorme com eles quando vamos pra lá. Domingo de manhã ela levantou mais cedo que eu, e eu comecei a ouvir ela fazer reina e má criação com minha mãe. Levantei e fui ver o que estava acontecendo, pois não admito desrespeito com os mais velhos. Falei para ela pedir desculpas pra vovó, e ela não quis. Orgulhosa, algo que precisa ser trabalhado em seu caráter em formação. Então por conta disso ela ficou de castigo sem poder jogar no computador ou celular e sem ver desenho. O que foi ótimo, pois ela começou a usar a criatividade pra ocupar seu tempo com brincadeiras, nós nos envolvemos mais com ela nas brincadeiras também, e ela passou o dia todo sem qualquer tipo de tecnologia, pois quando ela vai pra casa dos avós ela adora ficar no computador, ja´que em casa esse uso é super limitado.
Então eu e minha mãe começamos uma conversa a respeito dessas tecnologias e as crianças. Muitos pais usam esses meios como uma distração para seus filhos, pra que eles fiquem entretidos e não exijam muita atenção, e assim eles podem fazer suas coisas tranquilos. Mas você acha que está certo isso??? Deixar seu filho o dia inteiro em frente a uma televisão sem ao menos observar o que ele está assistindo? Ou no computador abrindo sabe-se lá que tipo de joguinhos? E onde fica o tempo que se deve passar junto ao filho? Você pergunta a ele quando chega da escola como foi seu dia? O que ele aprendeu? Você gasta tempo com ele conversando, ensinando alguma coisa, lendo com ele, cantando com ele? Você leva ele á igreja para aprender os princípios cristãos, pra formar seu caráter reto?
É preciso gastar tempo com os filhos. Eles não vão aprender princípios sentados em frente à televisão não! Quem irá passar isso a eles é você. Educação requer tempo, requer atenção, requer carinho e paciência. Tire um tempo do seu dia para ficar com eles. Garanto que terão grandes surpresas!!! Eles vão lhe ensinar tanto quanto vocês a eles.
E hoje li algo que veio tão a calhar com minha informal conversa com minha mãe. Convido você a ler e a meditar a respeito.
A morte da mãe ou do pai, desestrutura a vida emocional de uma criança. Mas temos visto nos dias de hoje “filhos órfãos de pais vivos” o que é muito pior.
São crianças e adolescentes que, infelizmente, têm pais de corpo presente e coração ausente.

Filhos que são criados, mas não educados.

Recebem comida, bebida, remédios, roupas, brinquedos... mas padecem daquilo que é de vital importância na formação de uma criança: A presença de adultos que os amem, cuidem e deem exemplos bons.

Hoje, pais sem paciência entregam seus filhos a babás eletronicas, à televisão e ao computador como forma de educação, quando deveriam ser os pais os responsáveis pela mesma.
Com isto, formamos um verdadeiro batalhão de filhos órfãos de pais vivos. 

"Ensinai os vossos filhos, assentado em tua casa, andando pelo caminho, ao deitar e ao levantar. Para que vivam em paz na terra que o SENHOR DEUS te deu."( Deuteronômio 11:19-21)  

terça-feira, 9 de julho de 2013

Saindo sem a Malu...

Raras vezes fiz isso... Sair sem levar a Malu... ou sem o marido... Que eu me lembre, só umas 3 ou 4 vezes. E ela já tem 3 anos e meio, e não me lembro de ter feito isso mais do q essas 3 ou 4 vezes...
Então ontem, uma amiga que também tem um filho e também está grávida me chamou pra irmos comer sushi a noite, só nós, sem maridos e filhos e eu topei! Falei com meu marido se ele poderia ficar com a Malu sem problemas pra eu sair e ele aceitou sem titubear, meu amor... sempre meu parceiro e amigo.
Então dei banho logo depois da escola na Malu e fui me arrumar, me sentindo estranha, por deixar pra trás marido e filha que nunca eu deixo... Não fiz nem a janta, só expliquei pro marido como era pra ele fazer e pronto! Dei tchau e me mandei, antes que a culpa me pegasse! hahahaha
Ahhhhhhhhhhh como foi bom! Foi super legal! Sair, falar besteira, dar risada, conversar sobre vários assuntos sem ser só de filhos, casa e marido, se distrair, observar as pessoas do local, e se sentir bem, sem se sentir culpada. Foi ótimo mesmo!
Pensei então que devo fazer isso  mais vezes... Pensei que preciso disso as vezes... Pensei que isso é muito importante pra minha saúde mental e pra minha vida social. Pensei que existe sim vida após filhos, casa e marido!! Pensei que logo vou ter outro bb e tão cedo não vai dar pra fazer isso de novo, que então tenho é que aproveitar antes que ele nasça, e com certeza farei isso!
Cheguei em casa, leve, satisfeita, feliz e bem humorada e fui recebida com beijos e abraços pela filha e marido, com ótimas notícias de que a Malu tinha comido muito bem toda a gororoba que o papai tinha preparado pra eles jantarem e tinham se divertido muito juntos e sozinhos. Então foi bom pra todo mundo! Porque mamãe se divertiu e papai estreitou mais ainda seus laços com filhinha!!!
Então amigas, vamos aproveitar de vez em quando que só faz bem uma saidinha com as amigas pra espairecer e dar risadas á toa!!!
A vida é breve!! O tempo voa! Mas dá tempo pra tudo!!
Bjinhos,
mamãe da Malu

quinta-feira, 20 de junho de 2013

Mãe... de novo...

E eu serei mãe de 2 filhos...
Sinceramente, nunca imaginei... Sempre falava que a Malu seria filha única, soprava isso aos 4 ventos e toda a vez que alguém me perguntava quando viria o próximo... Mas maternidade, e a própria vida é um eterno cuspir pra cima e cair na testa, né? Pois é, caiu bem no meio da minha testa. E o resultado positivo veio no dia 1º de março, eu já estava com 7 semanas de gestação. 
Não sei descrever bem aquele momento... Foi um misto de emoções e sensações...  que jamais minhas palavras conseguirão expressá-las. Tanto é que eu ainda não tinha conseguido escrever sobre isto aqui no blog.
Eu não sabia se me sentia feliz pela benção de mais um filho, ou se me sentia frustrada por ver tantos planos e sonhos sendo adiados novamente, projetos que provavelmente nunca serão concluídos... Me julgue quem nunca pensou... Mas não foi fácil aceitar e admitir tal mudança de vida. Se me sinto mal hoje por ter pensado assim? Sim, eu me sinto. Me sinto muito mal! Mas essa foi a reação da minha surpresa.
Hoje, apesar de imensamente feliz com a chegada do nosso gurizinho, sim, é um gurizinho! Teremos um casal! Que perfeito não é? Então... apesar de muitíssimo feliz ainda tenho medos... Tenho muitos medos... As vezes me culpo por não achar que sou uma ótima mãe pra minha Malu, me acho negligente pq às vezes esqueço de passar pomadinha na alergia q ela tem atrás da orelha e me culpo muito por isso, por ter dias que não tive tempo de sentar com ela no chão pra brincar, por ter dias que ela vem me pedir pra ler um livro pra ela e eu digo que agora não dá, me sinto culpada por perder minha paciência as vezes e gritar como se não ativesse mais argumentos, me sinto culpada por inúmeros erros que sei que todas as mães cometem mas que eu não queria cometer... Então penso: se não dou conta com 1, como é que darei conta com 2?? Ah! Sinceramente, esses pensamentos me aterrorizam! Que medo tenho de não ter mais tempo pra ela, que medo tenho de não conseguir dividir meu amor e meu tempo pra 2, que medo tenho de acabar negligenciando as pomadinhas dos 2... Ai que medo tenho de não ter recursos pra dar tudo o q eu sonho dar a eles!
E nesse misto de alegria e pavor é que vou vivendo meus dias à espera do meu  novo amor... Pedindo a Deus que me dê sabedoria para saber lidar com meus 2 tesouros, será um aprendizado diário, e eu estou disposta a aprender e me tornar cada dia melhor mãe.
Enquanto escrevo choro, e a Malu então vem com papel higiênico secar minhas lágrimas... Terei 2 doçuras dessa em casa... Que privilégio! 
Bjinhos,
mamãe da Malu

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

E o 1º dia de aula foi...


Ótimo, melhor impossível!
Eu sei, eu sei, que é melhor não contar vantagem antes da hora, pois o 1º dia é sempre novidade, brincadeiras, amiguinhos... Os próximos dias é que podem ser pior... Mas mesmo assim, eu que estava tão apreensiva não posso deixar de ficar feliz por ter dado tudo certo nesse dia.
Ao sair de casa Maluzinha estava toda empolgada, linda de uniforme e mochilinha nas costas!!! E eu com um nó imenso na garganta, fazendo de tudo pra não desabar. 
Aí fui fazer uma oração antes de sair de casa, pedir pra Jesus guardar seu dia na escola e então o nó na garganta apertou e eu não aguentei e chorei. A Malu então disse: pára de chorar mamãe. Pra que chorar??
Aí eu disse que estava muito emocionada por vê-la linda de uniforme indo pra escola, que ela tinha crescido. E ela então disse: não mamãe, eu não cresci, eu ainda sou pequena, para de chorar.
Hahahahahaha Coisa mais linda!! Dei risada e parei de chorar. Minha filha me animando.
Descemos pra garagem e ela : mamãe, pegou meu caderno? Ai não acredito, esqueci sua apostila filha!!! Lá vamos nós, quase atrasadas voltar pegar a apostila dela, só podia ser eu mesma! Afff... Subindo o elevador entra uma moça junto e pergunta: Hoje é o primeiro dia de aula dela? E eu disse : sim, é sua primeira vez. Então ela disse: não é fácil né? Gentem, pq ela foi dizer isso??? Eu desabei a chorar de novo, e a mulher passava a mão no meu ombro e dizia: vai dar tudo certo, ela vai amar! Daí eu chorava mais ainda! Ai credo, que horror! 4 andares intermináveis. Fiquei com vergonha da mulher. Mas também, ninguém manda ela falar isso pra uma mãe em seu primeiro dia de desapego! rsrsrsrs
Pronto, peguei a apostila, mas esqueci de todos os materiais! Afff, eu sou muito desligada mesmo!!! Mas tá, tudo bem, não vou subir pegar, digo que vou entregar na hora que vou buscá-la. Fomos! Chegamos! E ela ficou olhando todo aquele movimento sem dizer absolutamente nada. Entramos na sua sala, ela pediu pra sentar em uma  mesa, viu uma menina com uma apostila, que é igual a sua , claro, e disse: esse caderno é meu. Daí eu mostrei a dela pra ela, mostrei que a dela tem um adesivo com a foto dela na contracapa pra ela saber que é sua. Pronto, resolvido! rsrsrs A tarefa mais difícil vai ser a de compartilhar... Ela ainda não sabe... Mas vai ter que aprender!
Ficou sentadinha numa mesa olhando tudo, e eu olhando de longe... Então ela veio perto de mim e falou com a voz toda embargadinha: mamãe, fica aqui comigo, não vai embora, eu não quero que vc vai embora. Ai meu pai, eu quase desabei de novo! Mas daí uma das tias percebeu e veio com um jeitinho todo especial conversar com ela, e eu disse pra profe que ela podia me ligar se a Malu precisasse de mim, falei na frente da Malu pra ela saber q eu voltaria sempre que precisasse. Dessa forma, deixei a Malu com a profe e saí. Fiquei uns 20 minutos de fora só espiando. Ela andou por toda a sala, olhando tudo, olhando as crianças. Percebi que o que a assustou foram as crianças que choravam, ela estava impressionada com elas, mas depois passou. Quando percebi que ela estava bem, avisei a profe e fui.
Lá pelas 15 horas o papai foi dar uma espionada, voltou dizendo que estava tudo bem, que ela estava numa boa brincando nas mesinhas com as crianças. Beleza!
Então lá pelas 16:30 foi a minha vez de espionar, e quando chego lá me deparo com uma linda cena: ela de fila indiana, bem organizadinha, segurando os ombrinhos de uma coleguinha  pra irem ao parquinho! Ai derreti! Achei o máximo, até bati uma foto, não resisti:

Não quis levá-la embora bem na melhor parte: o parquinho! Enxerguei a profe de longe e ela só me fez um sinal de ok, então fui embora de novo mais tranquila.
Então, às 17:30 o papai foi buscá-la. E sabe o que ele disse?? Que ela quis chorar porque não queria ir embora!!! 
Bem, não vou negar, fiquei apreensiva, nervosa, com tremedeira, nó na garganta, dor no estômago, mas estou feliz por mais essa nova etapa. 
Cada dia será um novo dia,  uma novidade, uma nova história pra contar... e sei que será ótimo pra todos nós. Saber que ela está evoluindo, tendo suas próprias experiências, é algo maravilhoso!
Estou com o coração mais leve.
Teremos muitas histórias pra contar!
Nos aguardem!!!
Bjinhos,
mamãe da Malu