Malu,minha razão de viver!

Malu,minha razão de viver!

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Sobre a solidão de ser mãe...

Recebi o texto em um comentário no meu blog. Achei tão expressivo, tão verdadeiro... Me identifiquei tanto que até chorei... E como tenho certeza de que muitas também se identificarão, não achei justo ficar só pra mim, quis compartilhar com vocês.
Curtam sem medo:


Sobre a solidao de ser mãe! Fonte: http://nfp-brasil.forum-livre.com/t835-sobre-a-solidao-de-ser-mae

"A ficha da solidão caiu quando em uma das duas noites das minhas 43h horas de TP do Gabriel, parteira e marido dormiam enquando eu sofria com contrações, sem poder dormir, sem dever acordá-los uma vez que eles nada podiam fazer por fim.
Um frio de solidão no peito, daquele caminho que só podia ser percorrido por mim. Meu bebê dependia só de mim.
Depois deste momento muitas outras vezes senti esta solidão.
Quando no pós-parto marido toma banho e sai serelepe para a rua fazer compras enquanto eu frágil e dolorida, me debatia em casa para compreender o bebê.
Todas as vezes em que o menino quis mamar e por mais exausta, só eu que poderia atender.
Todas as vezes em que ele estendeu o horário de trabalho para cumprir seus projetos, objetivos e eu tive que sair correndo no horário da escola, largando tudo para trás.
Todas as vezes que os meninos queriam alguma coisa que tinha que ser a mãe, que o pai eles não queriam.
Todas as vezes que aconteceu alguma coisa que o pai não conseguiu resolver, porque não teve o insight, ou porque não conhece o filho tão bem, ou porque não tem o colo tão macio.
A solidão de quem vê seus colegas de trabalho realizando coisas interessantes, te convidando, e você tendo um bebê para cuidar em casa, sem chance de ir em programas adultos.
A solidão de quem se sente a única que nunca largaria os filhotes, a única com quem eles sempre vão poder contar na vida e, por este motivo, a que deve sempre zelar por todas as necessidades deles em qualquer momento.
A solidão de quem não encontra quem a conforte em suas frustrações, frustração de não ter alcançado o nível de excelência na maternidade que eu mesma havia determinado para mim.
A solidão de quem às vezes tem dúvidas de que o desejo tão sentido e atendido por Deus tenha sido realmente uma boa idéia. Essa solidão tão ardida porque inconfessável.
Uma solidão megalomaníaca.
A idealização que cai por terra.
A fragilidade que se apresenta.
A humanidade que se instala.
O erro. O falho. O imperfeito. O indesejado.
E quando você se rende a tudo isso, de repente, você se identifica com todas as mulheres que passaram pela Terra. Percebe que você não será tão diferente daquelas que você um dia julgou e mesmo quando você consegue não repetir alguns erros, perdôa quem os cometeu, porque entende que seu caso foi quase um lance de sorte.
Me sinto muito pequena. Muito comum. E ao mesmo tempo enorme por ser apenas um minúsculo elo desta gigantesca corrente milenar. Em poucos anos todo o meu heroísmo e solidão serão esquecidos, mas fiz a minha parte.".

11 comentários:

  1. Ue coisa mais linda....que texto lindo e emocionante ....pequenas e gigantescas palavras....bjus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Adriana!
      É bem verdade, né?
      Muitas vezes nos sentimos sozinhas nessa caminhada...
      Mas com certeza não trocaríamos por nada!
      Somos bem recompensadas com os sorrisos lindos e sinceros que recebemos, né? rs
      Obrigada pela visita.
      Bjs,
      Ane e Malu

      Excluir
  2. Lindo texto, não sei se para mim a palavra seria bem solidão, mas frustração e cansaço sim, essas duas palavrinhas caminham de mãos dadas na vida materna, mas elas não superam a alegria que essa fase nos traz
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi amiga!
      Muito obrigada pela visita!
      São tantos sentimentos nessa caminhada...
      Difícil traduzi-los...
      Mas o amor e a satisfação são os principais, não é mesmo?
      Bjinhos

      Excluir
  3. Lindo amiga.. lindo de verdade!! bjinhos Lili do Luanzinho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lili minha querida!
      Obrigada por sempre nos acompanhar.
      Ficamos sempre felizes com sua visita!
      Bjinhos,
      Ane e Malu

      Excluir
  4. Amei seu cantinho e estou seguindo é claro!!
    Segue lá tbm .. bjusss

    http://mmoniquebelezaeestilo.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      Obrigada por nos visitar e nos seguir!
      Vamos conhecer seu cantinho tbm.
      Bjinhos
      Ane e Malu

      Excluir
  5. Ane quanto tempo não te faço uma visitinha né?! rs
    Amiga que post mais lindo!!! me emocionei lendo!!!

    Beijos
    Débora

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amiga, não suma, eu prometo que não vou mais sumir tbm... rsrsrs
      To indo lá no teu agora!
      Bjks

      Excluir
  6. É bem assim! A Mãe sempre sente a solidão...a solidão de que para tudo o filho só depende dela..eu sei que não posso falhar nunca, pois ela sempre precisa se mim, as vezes parece que as minhas forças estao no fim, mas tenho que respirar fundo porque ela depende de mim!beijos..encontrei voce no clube de maes e pais blogueiros..eu tb sou mamae blogueira de Floripa!beijos..Flavia www.mamaefashion.blogspot.com

    ResponderExcluir

Oi! Obrigada pela visita! Adoramos comentário! Bjs Ane e Malu